Cinema, Crítica de Filme

| Luta Pela Liberdade | Crítica

Em um bom longa de suspense, o roteiro de Luta Pela Liberdade mantém a tensão durante todo o filme e com sabe lidar com diversas tramas que o filme propõe. Confira a crítica completa.

Situado no estado de Manchukuo, um lugar controlado pelo governo, na década de 1930, a trama segue quatro agentes especiais do Partido Comunista que retornam à China depois de receber treinamento na União Soviética. Juntos, eles embarcam em uma missão secreta com o codinome “Utrennya”. Depois de serem vendidos por um traidor, a equipe se vê cercada por ameaças de todos os lados desde o momento em que saltam de paraquedas na missão. Os agentes vão quebrar o impasse e completar sua missão? Nos terrenos nevados de Manchukuo, a equipe será testada até o limite.

O diretor Zhang Yimou (Do recente A Grande Muralha) é um diretor que une ação e narrativa nos seus filmes, principalmente aqueles que parecem brincar com a gravidade como Héroi (2002) e o Clã das Adagas Voadoras (2004), mas ele não possui um filme de suspense em sua filmografia, por isso assistir Luta Pela Liberdade chega a causar um certo incômodo no começo, já que ele foge bastante da narrativa que conhecemos dele, mas esse sentimento passa rápido.

Isso se dá a criação da tensão de cena rapidamente, e pela separação de núcleos que vão acontecendo organicamente conforme avançamos. Há diversos momentos espalhados pelo filme, seja duros, mais explicativos e contemplativos ou para manter a estrutura da trama.

Mesmo com um filme que não privilegia a ação, temos um longa bem filmado e montado. As transições de diálogos e tensões de diálogos tem movimentações de câmera e cortes certeiros, seja para buscar a posição do personagem na cena ou trazer o que acontece em volta dele.

O longa é denso e cheio de camadas, algo que impressiona, já que filmes de suspenses costumam ter uma trama principal e poucos elementos coadjuvantes. Buscar dar uma história de fundo para cada um dos espiões é ótimo, mesmo que a missão seja a mesma para todos. 

Por ser uma trama de guerra e com pontos de realidade, o roteiro do diretor usa a violência como um elemento pertinente e dentro do espectro esperado. E também usa os personagens como o lema ‘que a missão vêm primeiro’ e seus desdobramentos.

A tensão em cena se perde em poucos momentos, mas quando ocorre nos diálogos, temos as melhores cenas do filme. Com o uso das trilhas impactantes em momentos chave, ele brinca com os sentimento do espectador, afinal ficamos imaginando o que pode ocorrer na sequência, e nem sempre é esperado.

O longa pode até possuir alguns elementos mais clássicos do gênero, mas o fato de ter um grande elenco e cada um ser importante de alguma forma para trama principal, acaba suavizando estes padrões. E como temos alguns respiros, mal percebemos o filme passar.

A forma com que somos colocados na trama também é elogiável, temos grandes cenários, diversos detalhes de época ao redor dos diálogos e principalmente sabendo explicar o que acontece. E um elenco que traz diversos elementos para a trama.

Luta Pela Liberdade é um bom filme de suspense para quem gosta do gênero, e para quem busca algo diferente para ver. Também é uma ótima escolha.  

Nota: 4/5

Contato: naoparecemaseserio@gmail.com

Me acompanhe nas redes sociais TikTok / Instagram / Facebook / Youtube

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s