Cinema, Crítica de Filme

| Turma da Mônica: Lições | Crítica

Turma da Mônica: Lições entrega um filme mais dramático do que aventuresco, mas ainda sim é uma das melhores adaptações da turminha pros cinemas. Confira a crítica completa.

Em Lições, Mônica (Giulia Benitte), Cebolinha (Kevin Vechiatto), Magali (Laura Rauseo) e Cascão (Gabriel Moreira) fogem da escola. Agora, terão que encarar as suas consequências, e elas não serão poucas. Nesta nova jornada, a turma descobrirá o real valor e sentido da palavra amizade.

No novo filme dirigido por Daniel Rezende, temos novos elementos, um deles é o arco dramático, afinal Lições não lida com a amizade, ele lida com o crescimento e os resultados de suas ações, onde muitas vezes não tem o resultado que queremos.

A nova história também aproveita o fato de termos uma tuma estabelecida para introduzir novos personagens, como Milena (Laís Vilela), Marina (Emily Nayara), Tina (Isabelle Drummond) e Rollo (Gustavo Merighi), onde todos agregam a trama e novamente são escolhas certeiras, ao olhar o ator/atriz o espectador já sabe qual o personagem adaptado.

Crédito: Serendipity Inc.  

E como no primeiro filme, temos uma infinidade de easter-eggs dos personagens criado por Maurício de Souza (Que está no filme), são elementos nas camisetas dos personagens, um detalhe no cenário e nos diálogos, e no que rodeia o bairro do Limoeiro, novamente entramos no bairro como se fossemos um turista,

A principal mudança entre um filme e outro, está no tom, enquanto o primeiro tem um tom de aventura, de ir atrás do desconhecido, este está mais localizado no drama, de mostrar que crescer e principalmente, amadurecer é difícil, ainda mais na fase pré adolescente. Inclusive as cenas entre Mônica (Giulia Benitte) e Cebolinha (Kevin Vechiatto) estão carregadas de emoção, que devem tocar no coração até do adulto mais duro.

Essa carga diferente permeia boa parte do filme, o que faz sentido pelos elementos trabalhados, seja pela superação que os personagens precisam mudar para crescer e ultrapassar seus medos. E aqui há todo o trabalho de dar os detalhes de como cada um lidou a sua forma com os problemas.

Crédito: Serendipity Inc.  

E além de cada um lidar com os próprios conflitos, o filme traz uma unidade da turma de uma grandiosidade impecável, há um crescimento nos atos que parecem pequenos, mas entendemos as escolhas narrativas quando a ‘nova’ turma se une aos personagens que já conhecemos. É de aquecer o coração.

Sempre se fala nos cinemas que a sequência de um filme, fica aquém do original, mas aqui há uma abertura maior do escopo inicial, e por trabalhar elementos diferentes, é até complicado dizer onde um acertou e o outro errou. Os dois são grandes adaptações literárias nacionais.

A história mantém o tom mais infantil, mais real dessa vez, mesmo sendo personagens de quadrinhos, uma criança – pré adolescente pode se enxergar nas cenas e se ligar ainda mais ao filme. 

Crédito: Serendipity Inc.  

Daniel Rezende acerta novamente na montagem final, de conseguir balancear as diversas emoções e ainda trazer uma história sobre crescimento, superação e amizade, de uma forma fluída, que vai te fazer rir, chorar e se apaixonar.

Turma da Mônica: Lições é um grande filme, uma nova adaptação da dona de rua de uma forma que destoa do primeiro longa, mas ainda sim é excelente, não só para as crianças, para todas as idades.

Nota: 5/5

Contato: naoparecemaseserio@gmail.com

Facebook: facebook.com/naoparecemaseserio

Instagram: @npmes

Twitter: @PareceSerio

Um comentário em “| Turma da Mônica: Lições | Crítica”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s