Cinema, Crítica de Filme

| Diários de Otgosa | Crítica

Em um novo produto da pandemia, Diários de Otsoga mostra as relações humanas no distanciamento. Confira a crítica completa.

Se houvesse um mundo onde a pandemia de covid 19 nunca tivesse ocorrido, alguns filmes nunca existiriam. Um exemplo é Diários de Otsoga que se constrói uma relação com distanciamento e com um elenco enxuto, mostrando a urgência que alguns grupos tinham de contar uma história. 

Neste filme temos o casal Fazendeiro e Gomes que visitaram os amigos Crista Alfaiate (As mil e uma noites) e seu marido, Rui Monteiro (técnico de iluminação). Decidiram que tinham de fazer um filme juntos para sair do isolamento o mais rápido possível. 

O longa tem uma estrutura linear, mesmo sem um roteiro base do que vamos acompanhando em tela. A construção do borboletário é única informação que sabemos, e a partir disso temos vamos conhecemos o personagens, e suas personalidades.

Ele é filmado em película e tem uma aparência antiga que contradiz bastante com o que vemos, não que seja uma escolha incorreta, não era uma escolha esperada em um longa com uma história cotidiana. 

A pandemia apenas aparece nas imagens de bastidores do filme, nas conversas fora da câmera, onde vemos a preocupação em proteger a todos que estão envolvidos na produção e elenco. A discussão da cena do beijo é pertinente, por exemplo. Somos lembrados que é um filme filmado em 2021.

Temos aqui um filme sobre cotidiano, que traz o bastidor em alguns momentos, a história é padrão e sem surpresas. Afinal, é uma construção que estamos falando. Só há o que se discutir sobre o filme, quando eles estão nos momentos de relaxamento, bebendo e jogando ‘conversa fora’.

As cenas longas são melhor aproveitadas nestes momentos inclusive, pois entendemos o trio principal e as outras pessoas que chegam em outros atos. A leveza desses pontos acaba sendo o destaque de Diários. 

O desconhecimento do que ocorre é interessante nos atos iniciais, e em alguns momentos, mas há cenas que pouco somam ao todo, por justamente ter muitas citações do que ações em sim, sem um grande arco dramático por exemplo.  

Diários de Otsoga sabe mostrar a urgência de se produzir uma história, mesmo que seja simplória em alguns momentos. Apenas lembrando o espectador do momento em que tudo foi filmado. É um filme honesto e bem executado. 

Esses dois mundos que o longa transita tem uma montagem interessante, já que não sabemos quando ‘sairemos’ da história para voltar a realidade de 2021. Em nenhum momento temos algo que possa justificar essa troca, então é sempre uma surpresa e por motivos diferentes. É como aquela sensação de voltar ao mundo real depois de ver um filme nos cinemas. 


Diários de Otsoga não é um dos melhores filmes produzidos em meio a pandemia, mas é uma história honesta e bem montada, sem esquecer da realidade que nos consome.

Nota: 2/5

Contato: naoparecemaseserio@gmail.com

Me acompanhe no canal e nas redes sociais: Youtube / Instagram / Facebook / Twitter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s