Cinema, Crítica de Filme

| Crimes Of The Future | Crítica

David Cronenberg usa um visual distópico para falar de disfunções da sociedade, e evolucionismo do ser humano. Confira o crítica completa.

David Cronenberg retorna ao seu tipo de filme, não que ele tenha perdido sua assinatura, ou tentado algo diferente. Algumas escolhas foram mais comerciais para tentar uma maior abrangência de suas obras. Em Crimes Of The Future temos uma narrativa mais próxima do que esperamos do diretor.

A sociedade aqui é distópica, os seres humanos evoluíram ou se adaptaram para não sentirem dor, com isso a sociedade procurou novas formas de sentir algo, com isso conhecemos as apresentações de Saul Tenser (Viggo Mortensen) e Caprice (Léa Seydoux).

Essas pinceladas evolucionistas no roteiro são interessantes, quando percebemos que a sociedade se adaptou às novas circunstâncias. Para muitos as tramas podem até ter um aspecto político, mas como o objetivo é escancarar as novas condições, principalmente para sentir algo.

Aliado a estes conceitos, o diretor se une a uma fotografia escura e figurinos em tons pastéis, como se fosse obscuro tudo o que vemos, os momentos de brilho, são reservados para alguns momentos chave; E uma maquiagem e designs que agregam realidade e clareza a trama. 

O diretor também se aproveita da total imersão dos atores/atrizes para diálogos longos e com movimentação, a transição entre eles é sutil. Essa troca entre os atores são longas e essenciais para a trama, já que neles estão as informações sobre a sociedades e as apresentações seguintes. Como no começo do filme não temos estes momentos para nos acostumar a trama, esses se tornam importantes nos atos seguintes. 

E como o filme trata de escolhas, há momentos de se abordar o que é certo e errado, ou até onde podemos ir para alcançar um objetivo, seja pessoal ou para a sociedade. As tramas desenvolvidas não são condenáveis e sim apresentadas ao espectador, e como há uma gama de escolhas, gera discussões internas ao assistir. 

Viggo Mortensen se destaca por ter um personagem forte e ao mesmo tempo corporal. E isso é intenso em cada cena, principalmente nos diálogos, e como eles são longos, mostram como ele entende seu personagem e suas escolhas. E como ele tem uma ajudante com uma personalidade diferente, eles realizam uma antítese em cena que chama a atenção. 

Crimes Of The Future é o típico filme para tirar o espectador do seu lugar, principalmente por ter um começo instável e aos poucos explicando seus motivos. E os instrumentos que Cronenberg utiliza, são apenas pretextos para fazer um recorte de sociedade e de realidade. 

Nota: 3/5

Contato: naoparecemaseserio@gmail.com

Me acompanhe no canal e nas redes sociais: Facebook / Instagram / Youtube / Twitter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s