Ir para conteúdo

| O Jardim Secreto de Mariana | Crítica

Em um filme que fala sobre superar e acreditar no amor, O Jardim Secreto de Mariana de Sérgio Rezende mostra como o sentimento muda dependendo da fase da vida e ainda temos a atuação intensa de Gustavo Vaz e Andreia Horta. Confira a crítica completa.

João (Gustavo Vaz) e Mariana (Andreia Horta) são apaixonados, mas têm sua relação interrompida de maneira intempestiva. Cinco anos depois da separação abrupta, ele decide seguir seu instinto e parte numa longa jornada de bicicleta para tentar convencê-la de que o romance nunca deveria ter acabado. O amor, que ainda existe entre os dois, é então posto em xeque.

A história contada pelo diretor, que também é responsável pelo roteiro, mostra uma parte da vida do casal, que vive problemas cotidianos, e com a relação entre os dois sendo é testada nos momentos difíceis. Mesmo tendo uma rotina mais específica, a narrativa busca mostrar como o relacionamento tem que perseverar nos momentos difíceis. 

E por ter estes momentos de troca de emoções, a fotografia costuma flutuar entre cores quentes e frias, para deixar as emoções mais afloradas e centradas, há alguns momentos que o corte do filme deixa essas escolhas mais evidentes, há outros mais sutis.

O filme se apoia nas atuações de Gustavo Vaz e Andreia Horta, de uma forma intensa, que mudam conforme os acontecimentos do filme. Elas flutuam entre momentos doces, dramáticos e de cumplicidade com facilidade. E de fato as cenas  são diferentes.

Os dois inclusive estão estupendos em seus personagens, mesmo quando eles se reencontram depois de um tempo, com histórias de vida e pensamentos diferentes, eles continuam com uma química que chama a atenção.

Falar de maturidade e de transformação é uma tarefa ingrata para qualquer produto audiovisual, afinal não há muito tempo hábil para mostrar todas as alterações dos personagens ao longo da passagem, aqui em O Jardim Secreto de Mariana acabamos percebendo isso, mas o resultado final é grandioso.

E as transformações causadas pelo tempo no casal protagonista e como eles percebem a vida, é perceptível aqui e traz uma alta carga dramática para o filme. Os atores trazem o peso dramático certo e ponderado pelas cenas, sem perder o chão no real, emocionando na medida certa.

Nota: 4/5

Contato: naoparecemaseserio@gmail.com

Me acompanhe nas redes sociais Facebook / Instagram / Twitter

Bruno Simioni Cunha Ver tudo

Biólogo, estudante de jornalismo, cinéfilo e nerd que adora dividir conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: