Ir para conteúdo

| CUIR | Primeira edição discute diversidade sexual e de gênero

Primeira edição da CUIR discute diversidade sexual e de gênero. Entre os dias 07 e 20 de junho, a mostra reúne produções do cinema e das artes visuais assinadas por artistas e coletivos convidados do Brasil e de outros seis países da América Latina. A programação on-line e gratuita estará disponível nas versões em português e espanhol.

Marissa Lobo, Ani Ganzala Lorde, Jeisiekê de Lundu do filme FLUTU-AÇÃO foto_Mapam

Obras criativas dos diferentes circuitos do cinema independente e das artes visuais se encontram no ambiente web na CUIR — FILME E EXPERIMENTO — AMÉRICA LATINA. Entre os dias 07 e 20 de junho, a mostra apresenta visões artísticas da dissidência sexual e de gênero no subcontinente sul expressas em criações audiovisuais assinadas porartistas nascidos no Brasil e em outros seis países da América Latina: Chile, México, Colômbia, Argentina, Cuba e Uruguai. A programação gratuita da CUIR exibirá 42 produções organizadas em dez programas, além de uma série de debates, formada por oito encontros entre artistas participantes e o público. A produção é da proponente Ana Carolina Antunes e, a curadoria, do pesquisador e programador de cinema Luís Fernando Moura.

Serão exibidas produções artísticas em formatos diversos, entre a ficção, o ensaio, a performance, a videoarte e o videoclipe, em sua maioria de curta duração. Todas as obras convidadas para a CUIR poderão ser vistas durante os 14 dias de programação diretamente na plataforma própria (cuirfil.me), nas versões português e espanhol. Os debates serão transmitidos ao vivo pelo canal da mostra no YouTube (@encurtador.com.br/kAL16) e não são necessários cadastro ou inscrição prévios para acompanhar as atividades programadas. O projeto foi aprovado nos editais da Lei Aldir Blanc, no âmbito do estado de Minas Gerais.

Nove dos dez programas da CUIR fazem referência ao trabalho de uma/um artista ou coletivo de profissionais autoras e autores. Os convites desdobraram-se em indicações de outras realizadoras e outros realizadores, referências na formação criativa dessas e desses artistas. Dessa forma, cada grade temática conta com um conjunto de produções representativas de evidências, vidências e invenções latino-americanas e de pequenas genealogias afetivas de artistas. Fechando a grade dos programas, um deles é resultante da contribuição de uma curadora convidada, a cubana Maria Nela Lebeque Hay, que traz intercâmbio entre filmes em curta-metragem caribenhos e uruguaios.

A mostra CUIR visita distintas regiões do Brasil com produções do Amazonas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Entre os representantes da cena mineira estão o coletivo As Talavistas (Marli Ferreira, Pink Molotov, Cafézin e Darlene Valentim) e a realizadora, montadora e atriz Gabriela Luíza. Material gravado por essas artistas em encontros audiovisuais na residência coletiva em uma casa gerou o curta “Pietá” (direção de Pink Molotov, 2020) e, agora, origina o média-metragem “Sessão bruta”. Com direção de As Talavistas e Gabriela Luíza, o filme estreia na mostra CUIR.

Entre os destaques, estão títulos do pernambucano Surto & Deslumbramento (André Antônio, Chico Lacerda, Fábio Ramalho e Rodrigo Almeida), coletivo convidado que terá um programa composto com filmes antigos e recentes, incluindo a estreia do curta “O nascimento de Helena”, coprodução PE/RN dirigida por Rodrigo Almeida. Desde que foi criado, em 2012, o coletivo Surto & Deslumbramento tem na prática de cinefilia sua matéria-prima para tecer trabalhos cujas temáticas se relacionam com as vidas LGBTQI+. Os integrantes do Surto & Deslumbramento indicaram para compor o programa a Anarca Filmes, produtora carioca de cinema e arte contemporânea com uma proposta de realização audiovisual de caráter experimental. Nesse programa foi incluído o “Usina-Desejo contra a Indústria do Medo”, da Anarca Filmes, peça interativa realizada para explorar as possibilidades do ambiente web em 2021. Ambos os coletivos são importantes a uma história desviante do cinema brasileiro contemporâneo, na qual a proposição mesma de filme, ou cinema, está na fronteira de uma expansão, tanto ética quanto artística.

Entre os destaques internacionais, a programação traz produções do México, da Argentina, da Colômbia e de Cuba. Entre convidados e indicados, a curadoria da CUIR recebe artistas representativos da produção contemporânea chilena, como MariaBasura, Felipe Rivas San Martín, Hija de Perra e Katia Sepúlveda. O público também pode assistir a uma seleção de oito filmes de uma das mais notadas artistas na videoarte mexicana, Ximena Cuevas. A reapresentação da seleção “Ximena Cuevas: Identidade, Sexualidade e Política”, exibida no festival Videobrasil, em 2001, traz às telas a potência do trabalho da videoartista que mescla identidade, sexualidade e política. Além dessa seleção retrospectiva, a CUIR apresenta filmes premiados em festivais internacionais de relevância. Um exemplo disso é o longa “La noche”, vencedor do prêmio do júri na competição argentina do BAFICI, em 2016. Há também estreias como o trabalho “The Pandemia CUIR Chronicles 2021”, uma compilação de filmes montada especialmente para a mostra pelo artista mexicano Gómez Peña e o coletivo La Pocha Nostra.

Cuir/Queer

Nos últimos anos, o termo “cuir” passou a aparecer com frequência em trabalhos acadêmicos, nos circuitos das artes e entre a militância LGBTIQ+ na América Latina, e sensivelmente no Brasil. Em diferença ao termo “queer”, a noção designa experiências de dissidência sexual e de gênero no subcontinente sul, em contraste com a perspectiva eurocentrada, e intimamente relacionadas a questões raciais e de classe, bem como aos efeitos da colonização ibérica. Ao mesmo tempo, nota-se uma expansão emergente de redes artísticas, das mais diversas escalas e naturezas, em que obras de artistas latino-americanas e latino-americanos põem em evidência as vivências dessas comunidades e seus pontos de vista; obras de importância política reparadora e inventiva, e que muitas vezes inauguram caminhos disruptivos, surpreendentes e originais também para as linguagens das artes.

A CUIR retoma e propõe caminhos para mapear esses sentidos artísticos, reunindo artistas e coletivos que ocupam ora os centros, ora as bordas desses circuitos, de partida periféricos, novos ou limítrofes. A fronteira das identidades se converte em maneiras de perceber, aparecer e realizar. Cada uma destas obras, muitas vezes tão distintas entre si, carrega traços particulares de radicalidade na abordagem da criação de imagens. Filme a filme, o emblema do “cuir” se dobra sobre si mesmo, como se, mais do que conter uma ou outra filmografia, oferecida a uma insígnia, ativasse ou articulasse processos de limitrofia para além daquilo que pode nomear.

Programas

Residir e celebrar na borda do pavio

artista/coletivo convidado: As Talavistas & Gabriela Luíza (Brasil)

artista/coletivo indicado: Jô Arllen, Tiago Mata Machado, Joacélio Batista e Duca Caldeira (Brasil)

“Pietà”, dir. Pink Molotov, MG, 2020, 5’

“Sessão bruta”, dir. As Talavistas & Gabriela Luíza, MG, 2021

“Jovid-19”, dir. Jô Arllen, MG, 2020, 2’

“Os residentes”, dir. Tiago Mata Machado, MG, 2010, 133’

“O manual da zueira sem noção”, dir. Joacélio Batista, MG, 2020, 16’

“Clandestyna”, dir. Duca Caldeira, RJ, 2019, 22’

Documento, artefato maricas

artista/coletivo convidado: Felipe Rivas San Martín (Chile)

artista/coletivo indicado: Hija de Perra, Wincy Ortega e Perdida (Chile)

“Ideología”, dir. Felipe Rivas San Martín, Cristian Cabello, Chile, 2010, 5’

“Poética tecnobarroca del archivo homosexual – Santiago, 1973”, dir. Felipe Rivas San Martín, Chile, 2020, 10′

“Poética tecnobarroca del archivo homosexual – Barcelona, 1977”, dir. Felipe Rivas San Martín, Chile/Espanha, 2021, 12′

“Niño Bien”, de Wincy Oyarce, Chile, 2013, 9′

“Indecencia Transgénica – Indecencia Trance”, de Hija de Perra, Perdida, Wincy Oyarce, Chile, 2012, 5′

Videografia obstinada do cinema mentira

artista/coletivo convidado: Ximena Cuevas (México)

artista/coletivo indicado: Ricardo Nicolayewsky (México)

“Natural Instincts”, dir. Ximena Cuevas, México, 1999, 3′

“Contemporary Artist”, dir. Ximena Cuevas, México, 1999, 5′

“El diablo en la piel”, dir. Ximena Cuevas, México, 1997, 5′

“Cuerpos de papel”, dir. Ximena Cuevas, México, 1997, 4′

“La puerta”, dir. Ximena Cuevas, México, 2000, 5′

“Medias mentiras”, dir. Ximena Cuevas, México, 1995, 36′

“Alma gemela”, dir. Ximena Cuevas, México, 1982-1999, 2′

“Staying Alive”, dir. Ximena Cuevas, México, 1999, 3′

“Lost Portraits”, dir. Ricardo Nicolayewsky, México/EUA, 1982-1985, 57’

Tecnologias de exploração: aspirador de pó, luva, cardume

artista/coletivo convidado: Katia Sepúlveda (Chile)

artista/coletivo indicado: Marissa Lobo (Brasil (BA)/Áustria), Ani Ganzala Lorde (Brasil -BA), Jeisiekê de Lundu (Brasil -BA)

“Post Porn Infinite”, dir. Katia Sepúlveda, Chile/México, 2010-2011, 16’26”

“Wish”, dir. Katia Sepúlveda, Chile/Alemanha, 2015, 8’54”

“Flutu-ação”, dir. Marissa Lobo, Ani Ganzala Lorde, Jeisiekê de Lundu, Brasil (BA)/Áustria, 2021, 07’41”

Cinema se expande a cada fim de festa

artista/coletivo convidado: Surto & Deslumbramento (Brasil)

artista/coletivo indicado: Anarca Filmes (Brasil)

“Mama”, dir. André Antônio, Brasil (PE), 2012, 21’

“Cadê meu dorflex #2 – O sonho de ouro”, dir. Surto & Deslumbramento, Brasil (PE), 2015, 8′

“O nascimento de Helena”, dir.Rodrigo Almeida, Brasil (PE/RN), 2021, 11′

“AFETADAS”, dir. JEAN, Brasil (PE), 2021, 20

“Usina-Desejo contra a Indústria do Medo”, dir. Anarca Filmes, Brasil (RJ), 2021, duração variada

Noturna avança a aliança

artista/coletivo convidado: Edgardo Castro (Argentina)

artista/coletivo indicado: Edgardo Castro (leitor) / (Argentina)

“La noche”, dir. Edgardo Castro, Argentina, 2016, 135′

“Leituras para La noche: Actuar es un vínculo”, dir. Edgardo Castro, Argentina, 2021, 3′

Corpos-árvore nascem de costas

artista/coletivo convidado: Uýra Sodoma (Brasil)

artista/coletivo indicado: Keila Serruya Sankofa (Brasil)

“Manaus, uma cidade na Aldeia”, dir. Uýra Sodoma, Brasil (AM), 2020, 6′

“SEM NOME / SEM (cem) MORTOS”, dir. Keila Serruya Sankofa, Brasil (AM), 2019, 3′

Ancestralidade de terra e planta”, dir. Keila Serruya Sankof, Brasil (AM), 2018-2021, 5′.

A hora de fuder com vossa história

artista/coletivo convidado: MariaBasura (Chile)

artista/coletivo indicado: JorgeTheObscene (Chile)

“Fuck the Fascism: Roma”, dir. MariaBasura, Chile/Itália, 2017, 12′

“Fuck the Fascism: Avance de “El cruce de dos mundos””, dir. MariaBasura, Chile/Argentina/Espanha, 2019, 10′

“The MultiVerse in a MouthFuck”, dir. JorgeTheObscene, Chile/Alemanha, 2019, 21′

Exterminada no corpo a cruzada nacional

artista/coletivo convidado: Nadia Granados (Colômbia)

artista/coletivo indicado: Guillermo Gómez-Peña & La Pocha Nostra (México)

“Dale papito’, dir. Nadia Granados, Colômbia, 2012, 3′

“Borderhole”, dir. Nadia Granados, Amber Bemak, Colômbia/México, EUA, 2017, 14′

“Gómez Peña & La Pocha Nostra present: The Pandemia CUIR Chronicles 2021”, dir. Gómez Peña & La Pocha Nostra, México/Noruega/Estados Unidos, 2021

Estudos com vampiros, pernas ou pênis etc.

Curadoria amiga: Maria Nela Lebeque Hay (Cuba)

artista/coletivo indicado: Damián Sainz Edwards, Roger Gutiérrez, Domenica Pioli, Sofía Martínez e Raidel Araoz

“Close Up”, dir. Damián Sainz Edwards, Roger Gutiérrez, Cuba, 2008, 22’

“Pelo de gate”, dir. Domenica Pioli, Sofía Martínez, Uruguai, 2018, 3′

“Arquetipos”, dir. Raydel Araoz, Cuba, 2010, 6′

“Piernas”, dir. Sofía Martínez, Uruguai, 2018, 2′

Serviço

CUIR – FILME E EXPERIMENTO – AMÉRICA LATINA

07 a 20 de junho de 2021

on-line | cuirfil.me | gratuita

Categorias

Eventos

Tags

Bruno Simioni Cunha Ver tudo

Biólogo, estudante de jornalismo, cinéfilo e nerd que adora dividir conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: