Ir para conteúdo

| O Regresso de Jaspion | Review

No mangá que traz Jaspion de volta depois de 30 anos, mostrando que o personagem pode sim ser relevante e pertencer a novos formatos. Michel Borges e Fabio Yabu tiveram a responsabilidade de adaptá-lo para o mundo de hoje, e como é bom vê-lo novamente.

Capa de ‘O Regresso de Jaspion’. Crédito: Editora JBC

Foram produzidos 46 episódios, entre 15 de março de 1985 e 24 de março de 1986. A Toei Company, na tentativa de se destacar com as histórias de heróis japoneses, acabou vendo em Jaspion uma grande oportunidade para crescer e transformar o herói em um grande sucesso. E ela conseguiu. O personagem abriu as portas para os tokusatsu (Como o gênero destes heróis ficou conhecido) e se tornou um fenômeno. O guerreiro é mais conhecido no Brasil do que no próprio japão.

30 anos se passaram e nenhum material novo foi lançado, apenas os episódios foram migrando de mídia para mídia (Inclusive você pode assisti-los no Amazon Prime). Agora com o lançamento de ‘O Regresso de Jaspion’ da Editora JBC com roteiro de Fábio Yabu e arte de Michel Borges, autores da trilogia Combo Rangers, publicada pela mesma editora e ainda temos Marcelo Del Greco como editor do mangá e Edi Carlos Rodrigues é o produtor executivo.

A história contada aqui começa exatamente onde os episódios pararam, do personagem saindo do planeta depois de eliminar a principal ameaça (Desculpa pelo spoiler, mas faz 30 anos, acho que você me perdoa). ‘Regresso’ começa exatamente deste ponto, pouco depois dos eventos principais.

Crédito: Editora JBC

O personagem principal por não ser humano, envelheceu quase nada, por isso temos essa sensação de que não passou o tempo. Jaspion é exatamente o mesmo, com o cabelo grande, roupa anos 80 e um humor característico que chega a dar raiva de tão otimista e piadista.

A dupla que trabalhou no mangá, além de fãs declarados do personagem, souberam com maestria trazer os elementos consagrados de Jaspion em uma continuação direta, sem rodeios, direta ao ponto, mas tem alguns problemas.

Os problemas ficam para os que nunca o conheceram, o mangá até traz algumas informações dos personagens, mas estão subjugadas ao final, sem grandes explicações. Claro, que isso não menospreza a qualidade final de ‘Regresso’, mas se você nunca ouviu falar do fantástico guerreiro, eu aconselho a ver alguns episódios, para se acostumar ao grupo antes de ler, já que o final está no começo do mangá.

Capa de ‘O Regresso de Jaspion’. Crédito: Editora JBC

Os traços usados nessa versão lembram mangás mais clássicos, mas sabem trazer tudo que o Jaspion precisa, seja o cabelo grande, os modelos dos anos 80, os uniformes do grupo e principalmente, envelhecer os humanos nestes 30 anos sem o protagonista, mas de uma forma que ainda conseguimos reconhece-los.

A história pode ser uma continuação das aventuras do guerreiro galáctico, mas não perde aquele arco clássico do herói que precisa se sobressair dos problemas, para o bem vencer o mal. ‘Regresso’ não traz nenhuma novidade neste sentido, mas ao menos traz isso do jeito de Jaspion, do jeito ‘Come on Boy’.

A novidade aqui não está na história e sim na possibilidade de trazer o personagem a uma nova geração, afinal 30 anos é muito tempo. Jaspion é um fenômeno no Brasil, bastou o anúncio de um filme feito aqui, viralizou a notícia. Cada novidade do longa (Que claro, sofre problemas com a quarentena) eram ‘figurinhas carimbadas’ em sites de cultura pop. O livro quando estava em pré-venda entro na lista dos mais vendidos da amazon, provando que Jaspion segue forte no coração dos brasileiros.

‘Regresso de Jaspion’ acalma os corações do fãs, mostra que é sim possível trazer o herói dos anos 80 para o século XXI, de uma forma consistente que agrada os que já o conhecem e pode ser um porta de entrada para novos, se forem corretamente mostrados ao guerreiro.

Serviço

O Regresso de Jaspion (http://2palit.us/jaspion)

Formato: 17,5 x 24,5 cm

Capa dura

Miolo papel offset

192 páginas (14 coloridas)

Preço: R$ 64,90

O mangá também terá versão digital distribuída nas principais plataformas do mercado: Kindle, Google Play, Kobo e iBooks.

Lançamento: 30/10/2020

Bruno Simioni Cunha Ver tudo

Biólogo, estudante de jornalismo, cinéfilo e nerd que adora dividir conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: