Ir para conteúdo

| De Perto Ela Não É Normal | Crítica

Em uma comédia divertidíssima, com uma atuação de Suzana Pires em diversos personagens hilários. ‘De Perto Ela Não é Normal’ é uma ótima opção para quem quiser rir. O longa estreou essa semana nos principais serviços de streaming, mas é uma das grandes estreias do Telecine

Pressionada por todos, Suzie, aos 40 anos, se afastou completamente da menina sensível e criativa que foi na infância. Agora, anos depois e coberta por diversos arquétipos da mulher perfeita, ela inicia uma longa busca por si mesma.

Suzana Pires, fez de absolutamente tudo nesse filme, só faltou arrumar a câmera e ir fazer sua cena. Não é à toa que ela está em todos os materiais de divulgação, inclusive seus personagens estão lindamente inseridos em momentos importantes do filme. Tem cena de Suzana com Suzana, e elas são ótimas, com um timing de comédia perfeito.

Foto: Ellen Soares

A protagonista Suzie (Entendeu e referência?) tem uma jornada transformação pelos atos do filme, ela começa de uma forma e vai mudando ao longo da história. Essa jornada de crescimento é auxiliada por um elenco estelar, temos participações de Henri Castelli, Angélica e a diva Ivete Sangalo. Essas interações ocorrem em momentos específicos e ajudam Suzie a seguir com sua vida. Claro, que alguns como a de Samantha Schmütz são os melhores momentos do filme.

Suzana faz três personagem aqui, Suzie, Tia Suely (A Melhor) e Neide. Há cenas em que os personagens interagem, mas como são três diferentes ‘personas’, até esquecemos que todos são feitos pela mesma atriz. A direção de Cininha de Paula (Crô em Família) soube balancear este excesso e usar os personagens na medida certa, além de cortes que mostram o todo dessas cenas.

Foto: Ellen Soares

Claro, que por ser uma comédia, os temas são abordados de uma leve, mas o que difere ‘De Perto Ela Não É Normal’ é na jornada da protagonista, já que ela termina de uma forma totalmente distinta do começo, essas transformações são comuns e podem inclusive ser exemplo para mulheres que se enxergam em Suzie.

Além de um bom filme e ser uma ótima fonte de entretenimento. O filme é a primeira produção brasileira a formalizar o comprometimento com a cláusula de inclusão (“inclusion rider”), que ficou mundialmente conhecida após o discurso de agradecimento da atriz Frances McDormand no Oscar de 2018. A medida, adotada pela produtora Escarlate em todas os seus eventos e projetos em desenvolvimento, determina um nível de diversidade de gênero, racial e de portadores de deficiências tanto no elenco quanto na equipe técnica.  

Nota: 3/5

Contato: naoparecemaseserio@gmail.com

Facebook: facebook.com/naoparecemaseserio

Instagram: @npmes

Bruno Simioni Cunha Ver tudo

Biólogo, estudante de jornalismo, cinéfilo e nerd que adora dividir conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: