Ir para conteúdo

| Carcereiros | Crítica

Em um especial que prioriza a ação do que o drama característico da série. ‘Carcereiros’ encerra sua história de uma forma melancólica. Confira a crítica do especial, que é o filme de 2019 editado em 4 episódios.
 
 

 

 
 
Com o aumento de serviços de streaming no Brasil, o Grupo Globo percebeu que haveria um nicho de mercado para séries online, com apresentações pontuais destes produtos na tv aberta. Surgue assim, o Globoplay, onde você pode ver as séries produzidas pelo grupo antes de todo mundo e além das séries estar disponível quando e onde você quiser.
 
Um destes produtos feitos exclusivamente para o aplicativo foi a série ‘Carcereiros’ que é baseada livremente no livro de mesmo nome de Dráuzio Varella, onde era registrado o dia a dia de carcereiros no sistema prisional de São Paulo, somos então apresentados a Adriano (Rodrigo Lombardi) que escolheu ser carcereiro como forma de sustentar sua família, a série foi elogiada pela crítica especializada e agora ela segue para uma nova mídia, o cinema.
 
O longa, que depois foi editado em série de quatro episódios, dirigido por José Eduardo Belmonte (Alemão) traz exatamente a atmosfera que estamos acostumados, com os planos já utilizados no seriado, com a mudança principal no tom apresentado, enquanto na série era mas baseado no drama e até mesmo em elementos de thriller psicológico, a versão para a telona é filme de ação, onde o protagonista deve-se se manter vivo ao final das reviravoltas que totalizam um 24 horas.
 
Rodrigo Lombardi (Adriano) e Kaysar Dadour (Gringo) em cena
Foto: Divulgação – Imagem Filmes
 
O especial demora a mostrar que teremos episódios de ação, ele tem seu primeiro ato muito firme no que a série apresentou, depois da primeira mudança é que vemos a total mudança de narrativa. Talvez isso seja um dos principais problemas deste ‘Carcereiros’, ele é um outro produto quando comparamos ao material original, um spin off da base construída.
 
O material de marketing foca nos personagens de Rodrigo Lombardi (Adriano) e Kaysar Dadour (Gringo), mas é Rodrigo carrega toda a história mostrada aqui, a interpretação de Kaysar é bem restrita e se perde ao longa da história. Rodrigo, como é na série, é o exemplo de boa atuação e como traz humanidade e honestidade a Rodrigo.
 
O roteiro feito por Dennison Ramalho (Morto Não Fala) e Marçal Aquino (Pitanga), Fernando Bonassi (Supermax), Marcelo Starobinas (Jean Charles) tem um ponto polêmico que é justamente destoar do material original que está na sua segunda temporada, mas pelo menos traz uma boa história de ação, com troca de atos bem marcados, mas se perde em momentos estranhos, como um soldado de elite ser rendido e morto por um preso desarmado.
 
O especial que é uma das apostas para trazer mídias conhecidas para outro tipo de público, porém os episódios apresentados ficam aquém das duas boas temporadas da série, além algumas informações que ocorrerem no filme impactam diretamente a série, por isso ele é considerado como a última temporada da série.
 
Elenco de ‘Carcereiros – O Filme’
Foto: Divulgação – Imagem Filmes
 
O que pareceria uma nova forma da Globo mostrar seus materiais para novos formatos, acabamos deparados com um filme de ação genérico, com cenas mal explicadas sem a preocupação de usar que a série tem de melhor, além ainda de complicar uma possível terceira temporada.
 
Nota: 2/5
 
 

Bruno Simioni Cunha Ver tudo

Biólogo, estudante de jornalismo, cinéfilo e nerd que adora dividir conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: