Sem categoria

| O Parque dos Sonhos | Crítica

Confira a crítica de O Parque de Sonhos



A animação Parque dos Sonhos conta a história de June, de 12 anos, que desenvolve junto com a mãe um parque fictício, porém ela percebe que o parque criado ganhou vida e apenas ela como criadora, pode salvá-lo.

O roteiro de Josh Appelbaum (Tartarugas Ninjas) e André Nemec (GI Joe: 3) dão a sensação em seus primeiros atos que o filme terá uma abordagem mais infantil, devido a forma que personagens como Boomer e Greta são apresentados, porém na primeira mudança de ato, percebemos que este roteiro vai além de um simples filme infantil  mantendo a atenção até mesmo de adultos.

Conforme vamos descobrindo a história pelos olhos de June, percebemos que por motivos pessoais ela teve que mudar e se adaptar a sua nova realidade. Imagina-se que é simplesmente porque ela cresceu e tem novos interesses, porém o que vemos é uma triste realidade acometida a sua mãe.

Cena de O Parque dos Sonhos
Foto: Divulgação – Paramount

O bom roteiro da dupla foca em diversos pontos e o interessante é que ao fazer isso ele consegue tocar diversos públicos, por exemplo, há cenas que as crianças irão se encantar por serem bem feitas com humor próximo a elas, já os adultos irão perceber todo o simbolismo que essas cenas possuem e sairão tocados pós sessão.

A parte técnica na animação produzida pela Paramount que também distribuí o filme, tem um traço diferente das animações atuais, lembrando o traço de Homem Aranha no Aranhaverso, e tem muita fluidez e profundidade, há alguns erros de continuidade, mas nada que atrapalhe o entendimento da história.

Cena de O Parque dos Sonhos

Foto: Divulgação – Paramount


O tom aventuresco da história se mantém em toda narrativa, com pequenos momentos de drama, principalmente nos momentos entre June e sua mãe, que servem como ponto de realidade da história, nos lembrando que a vida tem seus percalços.

O Parque dos Sonhos tem um saldo positivo pós sessão, por trazer uma história divertida, concisa e apta para várias idades. Aquele típico filme que encanta diversas plateias mesmo com uma temática livre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s